Teratoma Imaturo Ovariano de Grau I: Caso Clínico

Conteúdo do artigo principal

Paulo Costa Correia - Autor Correspondente

Paulo Costa Correia [paulo.correia@ulsguarda.min-saude.pt]
Rua Almirante Gago Coutinho, nº 39, 1º andar, 6300-523 Guarda, Portugal
ORCID iD: 0000-0002-4032-6975

Liliana Coutinho Cabral
Maria João Vale
Maria Luís Santos

Resumo

Os teratomas imaturos são tumores malignos raros, geralmente unilaterais, sólidos, formados por tecidos indiferenciados dos três folhetos germinativos: ectoderme, mesoderme e endoderme. A sua classificação é baseada na quantidade e no grau de imaturidade celular do componente neuroectodérmico (graus 1 a 3).
Os autores descrevem um caso clínico de uma paciente de 16 anos com teratoma imaturo do ovário de grau 1, com cerca de 14 kg. Foi realizada salpingo-ooforectomia direita de urgência com preservação do útero e do ovário esquerdo, mantendo assim a função reprodutiva da doente.
Foi acompanhada durante 5 anos em consulta externa de Cirurgia Geral e não evidenciou sinais de recorrência da doença.

Palavras-chave: Adolescente; Neoplasias do Ovário/cirurgia; Teratoma/cirurgia

Detalhes do artigo

Correia, P. M. C., Coutinho Cabral, L., Vale, M. J. ., & Santos, M. L. . (2021). Teratoma Imaturo Ovariano de Grau I: Caso Clínico. Gazeta Médica, 8(1). https://doi.org/10.29315/gm.v8i1.393
Secção
CASOS CLÍNICOS