Infeção Nosocomial Relacionada com Cateteres Centrais em Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais: Estudo Prospetivo

Conteúdo do artigo principal

Cristiana Maximiano - Autor Correspondente

Cristiana Maximiano [cristiana.maximiano@gmail.com]
Sete Fontes - São Victor. 4710-243 Braga, Portugal
ORCID-iD: 0000-0001-9916-925X

Carla Cunha
Albina Silva
Almerinda Pereira

Resumo

INTRODUÇÃO: Os acessos intravasculares são indispensáveis nas unidades de cuidados intensivos neonatais (UCIN) nível III. A monitorização das taxas de infeção é considerada um importante indicador dos cuidados de saúde. O objetivo deste estudo
é determinar a incidência atual de infeção associada ao uso de cateter central (CC), comparar os resultados com outras publicações e com um estudo prévio realizado na nossa unidade em 2011.
MÉTODOS: Estudo prospetivo realizado de janeiro de 2017 a dezembro de 2019 na UCIN do Hospital de Braga. Incluídos todos os recém-nascidos (RN) com CC colocado na nossa unidade. O diagnóstico microbiológico foi efetuado através de colheita de hemocultura e cultura da ponta do CC.
RESULTADOS: Foram colocados 404 CC no total, 138 cateteres umbilicais (CU) e 266 cateteres de inserção percutânea (CIP). A idade gestacional média dos RN foi 30,4 semanas (DP±3,89s), o peso ao nascer médio 1380,03 g (DP±742,68 g), com 76,03% de RN com muito baixo peso. O tempo de permanência médio dos CC foi 11,51 dias (DP±11,08 d). Obtivemos
95 culturas positivas da ponta do CC, 25 (26,32%) de CU e 70 (73,68%) de CIP. De 41 hemoculturas colhidas, 9 foram positivas (21,95%), 2 de RN com CU e 7 de RN com CIP. Os Staphylococcus coagulase-negativos foram os micro-organismos mais frequentemente identificados. A taxa de infeção associada ao uso de CC foi 0,5%. A densidade de incidência de contaminação de CC foi 20,43/1000 dias de CC.
DISCUSSÃO: Comparativamente ao estudo de 2011, verifica-se uma melhoria significativa na taxa de infeção associada ao uso de CC. A taxa de infeção e os agentes patogénicos identificados são semelhantes aos de outros estudos publicados.

Palavras-chave: Doenças dos Recém-Nascidos; Infeções Relacionadas a Cateter; Recém-Nascido; Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais

Detalhes do artigo

Maximiano, C., Cunha, C., Silva, A., & Pereira, A. (2021). Infeção Nosocomial Relacionada com Cateteres Centrais em Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais: Estudo Prospetivo. Gazeta Médica, 8(1). https://doi.org/10.29315/gm.v8i1.389
Secção
ARTIGO ORIGINAL

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)